sexta-feira, 13 de maio de 2016

Abertas inscrições para a antologia CONTOS INFANTO JUVENIS





Abrimos as inscrições para participação na antologia CONTOS INFANTO JUVENIS.
A participação é gratuita.
Leia as condições de participação: http://editoramatarazzo.blogspot.com.br/p/resultado-concurso-brasil-portugal.html
Número de participantes: 15 autores.
Casa autor pode enviar um conto de até 3 páginas digitadas no documento Word, com letra tipo New Times Roman, tamanho 12, entrelinha 1,5.
Prazo para envio de material: 30 de Junho.
Lançamento: 10 de agosto na Casa das Rosas, em São Paulo.

terça-feira, 10 de maio de 2016

Festa de lançamentos Maio/2016



A Editora Matarazzo e o restaurante Di Cunto tem o prazer de convidar para o lançamento dos livros "Vamos falar da Mooca?" e "Baú da Saudade", a se realizar no próximo dia 21 de maio de 2016 (sábado), das 10 às 15 horas, no restaurante Di Cunto, R. Borges de Figueiredo, 61 (com estacionamento no local). Haverá apresentação musical com Ciça Marinho & Sérgio Borges. Entrada franca.





Na oportunidade faremos a entrega dos diplomas e prêmios para os ganhadores do "Concurso de Trovas", também com o lançamento do livro "TROVAS".



Lançamento livro BAÚ DA SAUDADE





RELEASE LIVRO BAÚ DA SAUDADE


AUTOR: ROQUE RICCIARDI (PARAGUASSÚ)
ORGANIZADORA: NEIDE LOPES CIARLARIELLO


Este livro é uma pequena parte da vida boêmia do cantor, compositor, poeta e seresteiro PARAGUASÚ, cujo slogan era “O Cantor das Noites Enluaradas”, experiências essas vividas na cidade de São Paulo, com destaque para o bairro do Brás, antigo reduto de imigrantes italianos.
Paraguassú teve seu apogeu na década de 1920, neste livro relata parte dessas vivências boêmias, cabendo a sua neta, Neide Lopes Ciarlariello apenas compilar essas anotações que ele deixou  manuscritas em simples cadernos espirais. Ali ele conta como foi a boêmia do início do século, com relatos que vão de 1903 à 1940; como era a convivência entre os boêmios seresteiros, como foram seus primeiros encontros com Américo Jacomino (Canhoto), o maior violonista do Brasil naquela época; Catullo da Paixão Cearense, Pixinguinha, Procópio Ferreira, Domingos Rubino, José Sampaio, Genézio Arruda, Antonio Russo, João Pernambuco e muitos outros, e como essas amizades  se perpetuaram por toda sua vida.
Veremos ainda como nasceu sua primeira composição que ofereceu numa serenata à sua paixão platônica não correspondida. Veremos qual foi sua emoção ao fazer a primeira gravação e ouvir sua voz no gramofone; ao participar dos primeiros filmes falado brasileiros, e ainda  se reconhecendo um perdulário, que “viveu para cantar e não cantou para viver”.  Também relata uma parte do drama de sua vida na infância e juventude.
Neide acredita que está cumprindo um desejo de seu avô ao publicar o livro “Baú da Saudade”, porque em seu relato, Paraguassú se dirige diretamente aos seus “leitores”, e Neide apenas reproduzu “iptis litteres” o que ele escreveu, sem nenhuma emenda ou correção, e o leitor terá a impressão de ouvi-lo contar sua história, de um jeito peculiar e simples, a história de um jovem órfão e pobre que alcançou o apogeu da glória e da fama, apenas com a força da sua vocação.

Esta obra é um presente para todos os estudiosos e apreciadores da Música Popular Brasileira em seus “Anos Dourados”.



Coleção Bairros Paulistanos: VAMOS FALAR DA MOOCA?





A Editora Matarazzo traz mais um volume da série "Vamos falar...?", dedicada aos bairros da Pauliceia e as cidades brasileiras. 
Pretendemos realizar uma homenagem para cada bairro paulistano, começando pela Mooca, tradicional reduto de imigrantes europeus, sobretudo italianos. Em seguida, teremos como temas o Brás, o Belenzinho, o Tatuapé, a Freguesia do Ó, a Liberdade, a Bela Vista, a Penha e a Vila Mariana.
Apontamentos históricos indicam que a Mooca surgiu em 1556, quando os jesuítas construíram uma ponte sobre o Rio Tamanduateí e várias casas às suas margens. O nome do bairro tem origem tupi-guarani - uma junção de “moo” (fazer) e “oca” (casa). De lá pra cá muitas transformações aconteceram por ali. O perfil fabril do século XX ficou para trás, a Mooca hoje tem mais de 65 mil habitantes e cresceu em termos imobiliários. 
O modo “cantado” de falar dos moradores, o “mooquês”, inclui as expressões “orra meu” e “belo”. 
O bairro mescla tradições herdadas das comunidades italiana, espanhola, portuguesa e de outras partes da Europa, bem como de brasileiros vindos de outros estados, que se concentram no local oferecendo infraestrutura de comércio, serviços, saúde, lazer, educação e cultura.
A Mooca possui 7,7 km² de área e tem Hino, brasão e bandeira. Os moradores são extremamente bairristas e lutam, junto as autoridades, para preservar o patrimônio arquitetônico e cultural do bairro. 



Sumário / participantes

HINO OFICIAL DA MOOCA
BANDEIRA DO BAIRRO

COTONIFÍCIO CRESPI E A VÁRZEA DA MOOCA
Fernando Razzo Galuppo

CONDE RODOLPHO ENRICO CRESPI
Thiago de Menezes

ESPAÇO CULTURAL MOOCA RODOLFO CRESPI
Associação Amo a Mooca

CRESPI, JUVENTUS E A MOOCA
Everton Calício

A MOOCA E SEUS SOTAQUES
Geraldo Nunes

A MOOCA DOS IMIGRANTES
Elizabeth Florindo

MOOCA, QUANTA SAUDADE!!!
Renata Elito Jerônimo 

MUG E A MOOCA
MIRIAM BATUCADA
Ayrton Mugnaini Jr.


FILHOS DA TERRA,
Marcelle Fernandes - Jornal da Mooca 
D. ZINA
ROSA MORDENTI
CLEIDE VITA PAES
EMÍLIA CONCEIÇÃO DA SILVA COSTA
ANÍBAL MÁRIO CORRÊA
IVONE MANGINI
OSWALDO CEREJA
RALUCCA
SUELY LOPES

OS CHURROS DA MOOCA
TRADIÇÃO MOOQUENSE: DI CUNTO
TRADIÇÃO MOOQUENSE: FOTO AMÉRICA
MIRIAM BATUCADA
Thais Matarazzo

AH, OS FOOTINGS DA RUA DA MOOCA
Flávio Lapatte

ADONIRAN BARBOSA
Edson Santana do Carmo

SIMPLESMENTE UMA PAIXÃO
Solange Colombara

POESIAS PARA A MOOCA
Wilson de Oliveira Jasa

MUSEU DA IMIGRAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO
Nelson Di Francesco

EU E A MOOCA - A MOOCA E EU
Neide Lopes Ciarlariello

O PADRE, O BÊBADO E A VELHA NO FUTEBOL DA MOOCA
Magalhães Jr.



Dados técnicos
TÍTULO: VAMOS FALAR DA MOOCA?
COLEÇÃO: Bairros Paulistanos
ISBN: 978-85-69197-21-1
AUTOR: vários - coletânea
EDITORA: Matarazzo
IDIOMA: Português
ENCADERNAÇÃO: Brochura P&B. Papel couchê fosco 90gr/m². 
ILUSTRADO: Sim
FORMATO: 15,5 x 23
PÁGINAS: 160
ANO DO COPYRIGHT: 2016
ANO DE EDIÇÃO: 2016
EDIÇÃO: 1ª
VALOR: R$ 40,00